UMA EXPERIÊNCIA NA TERRA DO SOL NASCENTE

Foto: Ari Helminen

O publicitário, editor e dono da Ruído Produções Ricardo Martins passou uns tempos no Japão com mais um amigo e aproveitamos para saber mais sobre como são os bares e o comportamento dos japoneses. Há de convir que existe uma ideia pré-estabelecida e que prontamente foi posta abaixo depois desse bate papo. Pegue uma cerveja, siga as linhas abaixo e tenha ótimas surpresas.

E aí seus bêbados, tudo bem? À pedido de Eduardo, que escreve nesse humilde site, vim contar um pouco da minha experiência nos izakayas do Japão. Não sabe o que é? Não tem problema porque ao entrar em um você certamente saberá do que se trata ao olhar bebida pra caralho nas paredes.

Que boteco é invenção de portugueses todos sabemos, mas lá fora tem as suas versões, sejam elas chiques ou não. No caso do Japão, existem muitos PUBs britânicos que tem um clima ótimo e preços idem e tem os tais botecos chamados izakayas. Com uma breve explicação da diferença entre os dois, nos PUBs é exatamente o que vocês conhecem daqui do Brasil: clima britânico tocando geralmente uns indie rock/britpops e a bebida costuma ser uma média de 700 ienes (o que em real custaria aproximadamente R$ 15). Pro padrão do Brasil é realmente caro, mas pra lá é muito tranquilo porque existem muitas opções. De drinks diversos à cervejas do mundo inteiro com diversos preços. Já os Izakayas são bares com uma mesa pequena ou um balcão só e eles te servem uns grãos de feijão verde pra comer de graça.

Os choppes do Japão (conhecidos como Nama Biiru) tem o mesmo gosto dos choppes do Brasil. É engraçado porque vi muita gente reclamar da cerveja daqui e achei que ia me surpreender lá fora.  O preço deles é bem mais em conta e dependendo do lugar, é 200 ienes (R$ 4) e você pode beber até ficar torto sem sentir. Fazendo uma comparação um tanto quanto errônea (desculpa economistas), seria como se cada copo de chopp de 450ml fossem R$ 2. Mais barato do que o ônibus e metrô que você pega aí diariamente. Vai dizer que não dá pra ir bebendo sem sentir?

Um PUB que recomendo fortíssimo pra quem for ao Japão é o HUB. Além de ter em vários lugares e ser fácil de achar, você faz um cartão de fidelidade e tem descontos em qualquer bebida, os atendentes são sempre muito solícitos, tem telão com esportes rolando o tempo todo e o clima é muito agradável, muito limpo e é um lugar onde todo mundo interage com todo mundo como se fosse uma grande festa de conhecidos. Pra estrangeiros, é o melhor lugar até pra aprender a língua local porque é onde você vai ver japoneses desinibidos. (os japoneses adoravam falar nomes de jogadores brasileiros pra gente quando descobriam que éramos brasileiros. Engraçado.)

Fomos em dois izakayas que não recordo o nome. Um deles fomos mais vezes e se você é estrangeiro e quer falar o nome das cervejas do jeito que você está acostumado aqui no Brasil, vai se dar mal. Imagina um japonês tentando pronunciar nomes de cervejas alemãs, belgas, do mundo inteiro? É muito mais fácil você apontar no cardápio ou na parede que eles vão te servir. Na verdade, a maioria dos izakayas são servidos por mulheres e você acaba achando elas bonitinhas e ignora a parte do problema em pedir cerveja com a pronúncia japonesa. Eles sempre vão te dar uns feijões que eles chamam de Mame. Eles parecem mais com um amendoim torrado com casca e sal, mas dentro é uma espécie de vagem. Esquisito né, mas bebendo cerveja fica muito bom! Depois que você não tá nem mais sentindo o gosto fica melhor ainda!

Agora, um pouco sobre as duas cervejas nativas que conheci lá: Sapporo e Asahi Super Dry. Então, o sabor delas não pareceu muito distante de uma Itaipava ou uma Bohemia brasileira. Talvez por serem cervejas populares e de consumo diário, elas sejam mais leves. No Japão é muito comum as pessoas saírem do expediente e ir pro bar, seja lá qual for o dia da semana. Lá não é muito como o Brasil, onde temos uma noção maior de fim de semana. Você vai encontrar obviamente mais gente nos fins de semana, mas todos os dias os bares estão bem cheios como num sábado daqui, talvez. Pra quem gosta de farra é ótimo! A Sapporo pode ser encontrada com facilidade aqui no Brasil e vocês podem tirar as suas conclusões. Já não sei se a Asahi se encontra também, mas acredito que sim.

Pra finalizar, acho que a experiência mais importante pra mim nos bares do Japão foi viver um pouco da torre de babel que é pra estrangeiros. Eu fui com um amigo brasileiro nessa viagem e a gente sente muita falta dos PUBs porque lá você falava inglês, japonês, portunhol e tudo o que dá pra ser entendido numa mesa de bar, porque quando se é estrangeiro, muitas pessoas querem ouvir as suas experiências além-mar. Não importa se você não fala a língua nativa, mas certamente na língua do copo e depois de umas doses, você já é fluente o suficiente pra fazer bons amigos. E num bar, é isso que importa.

Autor

Alex Chrispim

Editor e Redator do blog Humor & Malte desde 2009. Além de escrever sobre o assunto, também produz, bebe e critica a própria cerveja.

Comentários



As mais lidas

As mais lidas

As mais lidas