DEMOCRACIA SÓ ACONTECE NO BAR

Já dizia o saudoso Reginaldo Rossi em uma de suas canções: “… no bar todo mundo é igual”. E é a mais pura verdade, não há etiqueta que se mantenha de pé em um ambiente regado a boas conversas e descontração.

Que melhor lugar para se comemorar um aniversário quando você está com pouca grana em caixa ou não tem a cara de pau necessária pra pedir que seus convidados levem comes e bebes para sua festa que o bom e velho bar? Por essas e outras que ele é um ambiente útil e versátil.

Mas não é pelo fato de um bar ser democrático que a gente pode fazer dele a casa da mãe Joana, é nesse ponto que muita gente anda perdendo a linha.  Tem coisa mais desagradável do que aquele cara que insiste em te pedir isqueiro a cada meia hora, mesmo sabendo que você já não tinha na primeira vez? Tem sim: aquele sujeito da mesa ao lado que vai toda hora ao banheiro e esbarra na sua cadeira tanto na ida quanto na volta e age como se não tivesse ninguém sentado ali.

E aí, se identificou com alguma das situações acima? Não pense que o mundo acabou, decidimos fazer um guia de sobrevivência com quatro perfis e dicas para você aproveitar o seu bar numa boa.

Lobo solitário: quando seus amigos estão na pilha de marcar presença naquele bar legal que não faz reserva você fica encarregado de segurar a mesa. Mesmo assim a primeira alma só aparece quase uma hora além do combinado.

Solução: Coloque cada 10 minutos de atraso na conta da mesa, quanto mais atrasado o primeiro tiver maior será seu desconto. Mas combine com eles antes.

Olha o passarinho!: é sempre igual, você está conversando e de repente aparece alguém com um celular na mão querendo tirar uma foto de todos na mesa. O problema é que uma só não basta, e ela interrompe vários assuntos, achando a coisa mais divertida do mundo.

Solução: Desafie a pessoa e cada vez que você ouvir a frase “Essa não tá legal, mais uma!”, por exemplo, é uma rodada a mais patrocinada por ela. É como ganhar royalties por direito de imagem.

Linha cruzada: a mesa está cheia, você está em um papo interessante e alguém, na empolgação, interrompe seu assunto para falar algo aleatório, quebrando a dinâmica do que vocês conversavam.

Solução: Um conselho amigável resolve. Espere o momento certo e avise a ela que isso pode ser chato inclusive para os outros, ofereça uma bebida pra selar o acordo e cada vez que acontecer de novo encha o copo dessa pessoa e levante outro brinde, ela entenderá.

 Whatsapp, Wi-Fi…: Nada mais chato que alguém senta-se à mesa e começar uma masturbação tecnológica com o próprio celular.

Solução: Perca seu tempo, mas enquanto permanecer no bar, não pare de mandar mensagens com os dizeres “responda ‘Pare’, para cancelar”; quando receber resposta continue infernizando mandando infinitos “Por que?”.

Mantenha o bar democrático, mas sem chatear o próximo. Afinal todo brasileiro tem um time de futebol, uma novela favorita e um bar do coração,  não importa se ele bebe ou não. 

Autor

Alex Chrispim

Editor e Redator do blog Humor & Malte desde 2009. Além de escrever sobre o assunto, também produz, bebe e critica a própria cerveja.

Comentários



As mais lidas

As mais lidas

As mais lidas